O termo acusmática tem suas raízes na Grécia antiga. O filósofo e matemático Pitágoras utilizava o termo akousmatikoi para se referir à situação na qual pupilos ouviam silenciosamente suas palestras enquanto ele se encobria por detrás de uma cortina. O compositor francês Pierre Schaeffer resgatou o termo para se referir a uma nova modalidade, a música acusmática, que teria como característica principal o fato de ser composta não mais para a execução por interpretes mas para a direta projetação por caixas de som. Atualmente, um concerto de música acusmática costuma ter diversas caixas de som espalhadas pela sala de concerto e as compositoras e compositores dessa modalidade geralmente concebem peças para 4, 8, 16, enfim, múltiplos canais. 

As peças disponíveis para audição a seguir foram compostas para dois canais, isto é, no formato estéreo, para possibilitar que os ouvintes as ouçam também em casa. Para que se tenha a melhor experiência possível sugiro ouvir essas músicas no melhor sistema de som a que se tenha acesso.

Aproveitem!